As transformações sociais acontecidas nos últimos anos impulsionaram a urgência de gerir as diversas realidades e organizações com seus complexos contextos/protagonistas (empresas, escolas, entidades religiosas, etc) sob os princípios da responsabilidade e transparência. A gestão dessas diversas realidades e organizações sob os princípios da transparência, da coerência e da responsabilidade é uma exigência social e ética. Seguindo esses critérios, os processos indicarão sinal de sustentabilidade em todas as suas esferas, tanto organizativas/estruturais quanto humanas/sociais. Existem vários indicadores que demonstram esta urgência no âmbito das atividades religiosas e filantrópicas, confirmando a importância desse programa de estudos de pós-graduação, destacando-se: O fato de o Estado exigir das entidades religiosas e assistenciais mais do que a boa vontade, mas a comprovação dos fatos realizados e seu gerenciamento com transparência e ética; o descompasso entre as exigências do Estado e o despreparo dos gestores de atividades religiosas e assistenciais, revelando descontinuidade entre a evolução do processo de administração no espaço secular em comparação com o existente no espaço religioso. A carência de colaboradores preparados para atuar no campo da administração de atividades religiosas e assistenciais, especialmente nas áreas contábil, financeira, gestão de recursos e de pessoas; as poucas opções de espaços para a discussão e estudo do processo administrativo fundamentado em princípios éticos e religiosos por causa da  dificuldade existente em conciliar a rentabilidade/sustentabilidade com os compromissos éticos e religiosos. Considerando esse cenário, o curso pretende favorecer o domínio necessário para que os gestores e colaboradores de obra religiosa ou assistencial possam gerenciá-la com responsabilidade, prudência e transparência.